Reciclagem vs Reutilização



Por
3 de fevereiro de 2019 - 15:19

Existem 5 Rs na política de manuseio dos resíduos sólidos, sendo: reciclar, reutilizar, reduzir, repensar e recusar. No entanto, os mais confundidos são os dois primeiros, ainda que não sejam a mesma coisa. Reciclar consiste em transformar a matéria descartada em uma nova, modificando o seu estado físico, químico ou biológico (análise disponível em <https://www.ecycle.com.br/2046-reciclagem>), a exemplo dos lingotes de alumínio que são feitos com o metal das latinhas de refrigerante. Reutilizar é, como o verbo já diz, ressignificar a matéria, destinar uma nova função a um pote ou outro material que tinha uma finalidade e seria descartado.

O instituto Alachaster, no bairro da Marambaia, em Belém, organiza projetos de reutilização de materiais que seriam descartados como lixo, transformando-os em recipientes para as mudas plantadas e outras demandas do local, além de providenciar oficinas de reutilização de materiais e oferecer mudas mensais aos seus colaboradores que doam materiais recicláveis os quais também podem ser reutilizados.

Na maioria dos casos, quem recicla são as empresas que possuem infraestrutura de transformação do produto, como a exemplo da garrafa PET que precisa ser lavada, prensada, triturada até virar pó e, por conseguinte, fios ou placas e outras coisas de plástico, de acordo com o livro Meio Ambiente, Ecologia da autora Ana Magda Piva.

Parte da confusão feita acerca do significado distinto entre reciclagem e reutilização ocorre devido à própria internet que utiliza ambos os termos com uma mesma finalidade. Todavia, a reutilização é mais comum no dia a dia, visto que é normal vermos recipientes de azeitona sendo utilizados como copos, potes de enlatados como recipientes de batatas fritas e escadas como artigos decorativos, entre outros, essas formas de ressignificar a matérias estão sendo, até mesmo, cada vez mais percebidas no universo comercial, nos estabelecimentos com “pegada sustentável”. Reciclar, no entanto, é mais criterioso devido à tecnologia demandada. Só que o papel pode ser reciclado em casa, mesmo, assim como as cascas de legumes e de frutas na compostagem, é possível ter acesso a esse tipo de reciclagem e de orientação no eCycle, um site que tira as principais dúvidas a respeito de vários materiais a serem reciclados em casa mesmo.

A reciclagem, de acordo com estudos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, começou a ser pensada no período da Baixa Idade Média, quando houve o inchaço das cidades e a produção de lixo se tornou cada vez maior, possibilitando aos mais ricos o acesso à coleta de lixo, porém a execução foi tornar-se realidade já após a Segunda Revolução Industrial e o amontoado de lixo produzido pelas fábricas.

Como o concretista Décio Pignatari um dia escreveu em seu poema,
a sociedade necessita enxergar, no lixo, o luxo, enxergando além da matéria e da palavra. Do lixo muitas famílias retiram o seu sustento. Do lixo muita matéria é reproduzida. A partir do lixo se pode pensar em alternativas para que o seu destino seja adequado, permitindo a todas as famílias viverem no luxo de uma qualidade de vida consciente, por meio da reciclagem e da reutilização.