Os Problemas das Fibras de Amianto



Por
27 de fevereiro de 2019 - 1:25

Muitas pessoas podem não saber exatamente o que é, mas o amianto está inserido no dia-a-dia de muitos brasileiros, sendo usado como uma das principais matérias primas na fabricação de telhas e caixas d’água. Antes de tudo, vamos entender o que é o amianto. Segundo o site www.dicio.com.br, amianto é o nome comercial de silicato natural hidratado de cálcio e magnésio, tem textura fibrosa, é refratário ao calor e dificilmente fusível. No geral, o amianto é uma matéria prima com propriedades impressionantes como alta resistência, durabilidade, qualidade isolante, flexibilidade, resiste ao ataque de ácidos, além de ser um material de baixo custo. É obvio que todos esses atributos juntos contribuíram para a popularização deste material na indústria ao longo do século XX. Porém, a empolgação com o “mineral mágico” não durou para sempre. Logo começaram a surgir diversos casos de contaminação humana causada pelo amianto.
Segundo a International Agency for Research on Cancer (IARC), o amianto é altamente cancerígeno em todas as suas variedades. A principal forma de exposição é através do trabalho em processos que envolvem essa fibra, como a extração, produção, transporte, manipulação, entre outros. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), este material é um dos agentes ocupacionais mais estudados no mundo e está relacionado a um grande número de doenças e mortes em vários países, onde é estimado que um a cada três cânceres ocupacionais possui histórico de exposição ao amianto, causando cerca de 100 mil mortes por ano. O mínimo contato com o material é perigoso, já que o corpo humano não é capaz de expelir as partículas inaladas do material, provocando doenças a longo prazo onde, em muitos casos, são incuráveis e o tratamento médico se resume em paliativos para o alívio das dores e sintomas.
No Brasil, a produção e comercialização de produtos com amianto é proibida segundo a lei nº 9.055, sendo liberado apenas o uso do amianto Cristolina, por ser considerado menos contaminante. A resolução 384 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), de 2004, determina que produtos que contém essa substância não podem ser descartados em qualquer lugar. O correto é que a fibra seja descartada juntamente com materiais perigosos em aterros sanitários especializados. Deve-se consultar a administração municipal para saber se há coleta desse tipo de material na cidade, outra alternativa é recorrer às empresas que lidam com materiais perigosos e oferecem soluções para o gerenciamento, coleta e tratamento destes resíduos. O site www.ecycle.com.br oferece um menu de descarte onde o usuário escolhe o produto que quer descartar e o site mostra se existem postos de coleta por perto.
Estes são os meios de descarte mais adequados e, infelizmente, os únicos. Outros meios envolvem jogar o produto diretamente na natureza onde ele causará degradação ao solo e corre o risco de haver contato humano com amianto, que resultará em todos os problemas citados no início da matéria. Portanto pense bem antes de comprar telhas e caixas d’água que contenham amianto, você pode estar levando um grande problema para dentro da sua casa e da sua vida.