Meio Ambiente: importância e preservação



Por
5 de junho de 2019 - 10:00


Animais, plantas, rios, mares, pedras e todos os seres humanos, tudo o que possui, gera ou mantém a vida compõe o meio ambiente. Até mesmo locais ou coisas mortas estão inseridos nesse grandioso sistema. A Organização das Nações Unidas (ONU) classifica o meio ambiente como conjunto de elementos químicos, físicos e biológicos que podem causar efeitos diretos ou indiretos sobre os seres vivos, ou seja, compreendem o local onde se desenvolve a vida na terra e a natureza com todos os seres vivos e não vivos que nela habitam e interagem.

O famoso efeito borboleta pode definir bem como as coisas acontecem no meio ambiente. Para quem não conhece, a teoria do efeito borboleta diz que um bater de asas de uma borboleta no outro lado do mundo pode causar um furacão em algum outro lugar, ou seja, uma pequena ação ou acontecimento distante pode trazer grandes consequências. Mas você deve estar se perguntando, qual a relação com este tema? Simples, como tudo está interligado, uma ação que gera danos ao meio ambiente, por mais insignificante que possa parecer, pode ocasionar grandes consequências para outros seres vivos.

Um jeito mais fácil de entender, é usando o derretimento das Calotas Polares como exemplo. Bem, primeiramente questiona-se: o que causa esse derretimento? Cientistas afirmam que este fato está associado diretamente ao aquecimento global. Surge então outro questionamento: o que causa o aquecimento global? Este corresponde ao processo de aumento da temperatura média dos oceanos e da atmosfera da Terra causado por massivas emissões de gases que intensificam o efeito estufa.

O efeito estufa, por sua vez, é oriundo de uma série de atividades humanas, como o aumento da liberação de gases poluentes na atmosfera, advindos principalmente do consumo de combustíveis fósseis (gasolina e diesel), de queimadas, desmatamento, desertificação e desenvolvimento urbano sem planejamento que diminui as áreas verdes nas cidades por concreto e acaba criando as chamadas “ilhas de calor”. Todos esses gases liberados ficam presos na nossa atmosfera, transformando-a em uma grande estufa onde a temperatura só aumenta.

Você pode pensar que aquele ônibus que você costuma pegar não faz diferença nenhuma nisso tudo, ou pode até mesmo nem se importar com todo esse gelo derretendo a milhares de quilômetros de distância. Mas, é importante ressaltar o princípio de que todos os elementos do meio ambiente estão interligados e que a vida de inúmeros seres vivos depende de um equilíbrio destes. Aquele caminhão que passa na sua rua soltando uma fumaça negra, contribui para o derretimento das geleiras e seu “efeito borboleta” é o agravamento do efeito estufa/aquecimento global, e consequentemente no aumento do nível dos oceanos. Essa situação atinge o mundo todo e causa a submersão de ilhas e cidades litorâneas, podendo ocasionar a extinção de animais e vegetais em decorrência do desaparecimento de grandes áreas.

Depois de todos esses exemplos, é perceptível como o meio ambiente age na vida humana e a importância de preservá-lo. Conforme o Art 255 da Constituição Federal de 1988, “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida”. Para ajudar a preservá-lo e mantê-lo em equilíbrio, existem várias pequenas ações que podem ser realizadas e hábitos do dia-a-dia a serem mudados, como: economizar água e energia; reciclar lixo; diminuir o uso de automóveis; utilizar produtos ecológicos ou biodegradáveis e, sobretudo, não jogar lixo nas ruas ou na natureza. Através destas pequenas ações é possível conquistar um ambiente melhor, não só para os animais, plantas e árvores, mas para todos os seres vivos, porque um meio ambiente saudável é bom para todos.